Secretário Nacional do Paradesporto conhece ações esportivas na Paraíba

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

O secretário nacional do Paradesporto da Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania, José Agtônio Guedes Dantas, conheceu na última semana detalhes de projetos que visam o desenvolvimento do paradesporto na Paraíba. Entre as atividades da agenda, o gestor se reuniu com o secretário-executivo de Esporte e Lazer da Paraíba (Sejel), José Marco, visitou a pista de atletismo da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), conheceu projeto de surfe adaptado e uma ação de inclusão de pessoas indígenas com deficiência.

“Fui conhecer a pista de atletismo da UFPB, onde treinam quatro atletas paralímpicos que estarão em Tóquio representando o Brasil. Fui recebido pelos professores da universidade e pelo reitor Valdiney, que contaram a história da instituição com o atletismo de alto rendimento. Uma história que começou em 1984, com o primeiro atleta da cidade a ir aos Jogos Olímpicos. Desde então a universidade desenvolve um trabalho com atletas de alta performance, com destaque nos últimos anos com os atletas paralímpicos, entre eles Petrúcio Ferreira, atual recordista mundial dos 100m”, disse Guedes.

Segundo o secretário, o Estado conta com atletas de alto nível que treinam na pista de atletismo da universidade e neste ano será assinado termo de parceria entre o CPB (Comitê Paralímpico do Brasileiro) e o Instituto de Cegos da Paraíba para receber um centro de referência paralímpico e a iniciação de atletismo. Durante a agenda, Guedes apresentou o planejamento de programas nacionais desenvolvidos pelo Governo Federal para possíveis parcerias com o Estado, com a intenção de fortalecer o paradesporto na região.

“Existem programas em execução e aqueles que estão em fase de conclusão no que diz respeito ao planejamento. Isso pode virar parcerias que irão beneficiar ainda mais o paradesporto paraibano, que tem projetos que servem de exemplo para todo o país, como é o caso do Paraíba Paralímpica. Inclusive, em Goiás, estava tudo pronto para iniciar a execução de um projeto muito semelhante e só não está em prática em função da pandemia”, disse Guedes.

Na praia de Cabo Branco, o secretário conheceu o projeto da AC Social, de praia acessível a pessoas com deficiência e idosos na praia. “A ação é importante devido ao fato de ter uma proposta de paradesporto de participação e lazer numa cidade litorânea rica em recursos de lazer gratuitos, mas que não são acessíveis às pessoas com deficiência”, afirmou Guedes.

A prefeitura da capital da Paraíba assinou convênio para expandir o atendimentos em cinco pontos na cidade, incluindo a construção de estações acessíveis e a prática de esportes náuticos para pessoas com deficiência, com lazer e treinamento aos que se destacarem.

Já em Baía da Traição, litoral norte do estado, a reunião foi promovida pela AC Social que presta assistência a povos indígenas com deficiência no município, atualmente cerca de oito mil potiguaras. O município desenvolve o projeto de surf adaptado como estratégia de mostrar para toda a comunidade que é possível viver e conviver com as diferenças.

A reunião contou com a presença do presidente da Confederação de Vôlei Sentado, Angelo Alves; do presidente da assessoria e consultoria para Inclusão Social (AC social), Genilson Lima, além de representantes da Funai, de secretários locais e de parlamentares.

Diversos

Mais vistos

De Olho No Futuro

Construir estruturas verdadeiramente modernas e com propósitos reais para a humanidade. Vamos abordar mais este tema nas palavras do saudoso Nizan Guanaes – CEO da N Ideias e…

Inscreva-se para receber nosso material exclusivo
Inscreva-se para receber nosso material exclusivo
Icon